Quarto de despejo: A escrita como arma e conforto à fome

  • Silvana José BENEVENUTO

Resumo

O diário de Carolina de Jesus nos revela o desejo de uma mulher que, mesmo vivendo em meio às mais degradantes condições de existência – cujos maiores momentos de alegria consistem nos instantes em que presencia o “espetáculo deslumbrante” da “gordura frigindo na panela (...) As crianças sorrindo vendo a comida ferver (...)” (JESUS, 19_ _, p. 37), ou, nos instantes em que sonha e imagina-se residindo “num castelo cor de ouro que reluz na luz do sol” (JESUS, 19_ _, p. 53) – em mostrar-se enquanto ser humano que pensa, sente, comove-se, indigna-se e que tem como ideal de vida escrever tudo o que vivencia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
BENEVENUTO, S. J. (1). Quarto de despejo: A escrita como arma e conforto à fome. BALEIA NA REDE, 1(3). Recuperado de http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/baleianarede/article/view/1359