CULTURAS INDÍGENAS SOB A PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Palavras-chave: Ciência da Informação, culturas indígenas, memória e patrimônio, tratamento da informação

Resumo

O presente artigo tem como objetivo trazer à tona reflexões preliminares sobre culturas indígenas sob a égide da Ciência da Informação, de modo que se questionem as causas e consequências da escassa presença da temática na literatura da área. Devido ao caráter essencialmente teórico e quase ensaístico do artigo, a metodologia aplicada consistiu em levantamento bibliográfico (sobretudo em bases de dados dedicadas à Ciência da Informação, como a BRAPCI), leitura e articulação de conceitos. Os resultados contemplam, dessa forma, hipóteses que expliquem a referida ausência das culturas indígenas no âmbito da Ciência da Informação. Além disso, procura-se oferecer perspectivas iniciais para que o tratamento da informação indígena seja realizado de forma eficiente e historicamente reverente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Deliberali Maimone, Universidade de São Paulo

Professora da Universidade de São Paulo (USP) no curso de Informação e Cultura (CBD) da Escola de Comunicações e Artes (ECA), desde março de 2014. Doutora em Ciência da Informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Mestre em Ciência da Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2007). Bacharel em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Universidade Federal de São Carlos (2005). Estuda Ciência da Informação, com ênfase na área de Organização do Conhecimento e Representação da Informação, atuando principalmente em Análise Documentária, Linguística, Terminologia e Representação de Documentos visuais, Sonoros e Cinematográficos.

Amanda Pedrosa de Matos, Universidade de São Paulo

Graduada em Biblioteconomia pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP (2018). Foi estagiária da Universidade de São Paulo (Rádio USP fm) por dois anos. Tem experiência na área de Produção, com ênfase em Rádio. Trabalhou nos programas "Por Dentro da Música" e "Via Sampa" (vencedor do APCA 2017 na categoria melhor produção jornalística). A produção envolveu pesquisa de pauta, levantamento bibliográfico e audiovisual sobre Música Popular Brasileira. Também participou da organização dos acervos de CDs da Rádio USP e o de fitas cassetes de Marlui Miranda.

Referências

Aguilar, A. (2009). O indigenismo na era da informação. // Ponto de Acesso, 3:2, 158-191. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/3350/2616> (2018-08-08).

Bosi, E. (2012). Entrevista: Ecléa Bosi: Memória: enraizar-se é um direito fundamental do ser humano. Entrevistador: Mohazir Salomão Bruck. // Dispositiva: Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Faculdade de Comunicação e Artes da PUC Minas, Belo Horizonte, 2:1 (ago./dez.) 196-199. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/dispositiva/article/view/4301> (2018-13-09).

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Decreto nº 9.010, de março de 2017, que aprova o estatuto e o quadro demonstrativo dos cargos em comissão e das funções de confiança da fundação nacional do índio - FUNAI, remaneja cargos em comissão, substitui cargos em comissão do grupo direção e assessora-mento superiores - das por funções comissionadas do poder executivo - FCPE e revoga o decreto nº 7.778, de 27 de julho de 2012. Brasília: Casa Civil, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Decreto/D9010.htm#art9 (2018-09-15).

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Artigo 216. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_216_.asp (2018-09-15).

Briet, S. (2016). O que é a documentação? Brasília: Briquet de Lemos, 2016.

Carmo, J. R.; Karpinski, C.; Bräscher, M. (2018). A relação entre a memória social e sociocognição: busca do contexto social na organização do conhecimento. // Em Questão, 24:1 (jan./abr.) 65-85. Disponível em: <https://www.brapci.inf.br/v/a/28214> (2018-09-15).

Civallero, E. (2008). Bibliotecas indígenas en América Latina: revisión bibliográfica y estado actual de la cuéstion. Córdoba: Wayrachaki, 2008. Disponível em: <https://issuu.com/edgardo-civalle-ro/docs/bibliotecas_ind__genas_en_am__rica__2d5219a0da7346> (2018-10-07).

Civallero, E. (2007). Tradición oral indígena en el sur de América Latina: los esfuerzos de la biblioteca por salvar sonidos e historias del silencio. // In: IFLA GENERAL CONFERENCE AND COUNCIL, 73, 2007. Anais.... Durban: Ifla, 2007. Disponível em: <https://archive.ifla.org/IV/ifla73/papers/108-1.Civallero-es.pdf> (2018-10-07).

Couto, I. H. (2012). A política institucional e o trabalho curatorial na montagem da exposição “Tempo e Espaço no Amazonas: os Wajãpi”. // Cury, M.; Vasconcellos, C.; Ortiz, J. (coord). Questões indígenas e museus: debates e possibilidades. São Paulo: MAE-USP, 2012. (Coleção Museu Aberto). Disponível em: <https://www.sisemsp.org.br/wp-con-tent/uploads/2013/12/Questoes_Indigenas%20_Museus_2012.pdf>. (2018-08-23).

Cunha, M.B; Cavalcanti, C.R. (2008). Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos, 2008.

Dantas, C. F. N.; Ferreira, R. da S. (2013). Os conhecimentos tradicionais dos(as) erveiros(as) da Feira Ver-o-Peso (Belém - Pará-Brasil): um olhar sob a ótica da Ciência da Informação. // Perspectivas em Ciência da Informação, 18:2 (abr./jun.) 105-125 . 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362013000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt> (2018-08-08).

Freire, J. R. (2009). A descoberta do museu pelos índios. // Abreu, R; Chagas, M. (org). Memória e Patrimônio: Ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. Disponível em: <http://www.reginaabreu.com/site/images/attachments/coletaneas/06-memoria-e-patrimonio_ensaios-contemporaneos.pdf> (2018-09-15).

Freitas, M. B. A. P; (1994). Mário de Andrade e Aloísio Magalhães: dois personagens e a questão do patrimônio cultural brasileiro. // Anais da 46º Reunião Anual da SBPC (julho). Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/posfau/article/download/137135/132928/> (2019-08-31).

FUNAI. (2018). Programa de documentação de línguas e culturas indígenas. Disponível em: <http://progdoc.museudoindio.gov.br/programa/> (2018-09-15).

Gonçalves, J. R. O patrimônio como categoria de pensamento. (2009). // Abreu, R.; Chagas, M. (org). Memória e Patrimônio: Ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. Disponível em: <http://www.reginaabreu.com/site/images/attachments/coletaneas/06-memoria-e-patrimonio_ensaios-contemporaneos.pdf> (2018-09-15).

Halbwachs, M. (1990). A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

Le Coadic, Y-F. (1996). A Ciência da Informação. Brasília: Briquet de Lemos, 1996.

Mello, R. P. S. (2014) A importância dos arquivos para a garantia dos direitos indígenas. // Arquivo & Administração, 13:1-2. Disponível em: <http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/50047> (2018-07-28).

Mello, R. P. S.; Couto, I. H. P. (2017) A metamorfose da memória indígena no âmbito dos projetos de documentação da UNESCO. // Ponto de Acesso 11:2. Disponível em: <https://www.brapci.inf.br/v/a/27795> (2018-08-10).

Mello, R. P. S.; Pimenta, R. M. (2018). Os repositórios públicos do Estado brasileiro e a construção da au-tonomia informacional dos povos indígenas. // Ciência da Informação, 47:2. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4067/3796> (2018-07-28).

Oliveira, H. P. C. de; Aquino, M. B. (2012). O conceito de informação etnicorracial na Ciência da Informação. // Liinc em Revista, 8:2, 466-492. Disponível em: <http://revista.ibict.br/liinc/article/viewFile/3336/2943> (2018-08-09).

Oliven, R. G. (2009). Patrimônio intangível: considerações iniciais. // Abreu, R; Chagas, M. (org). Memória e Patrimônio: Ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. Disponível em: <http://www.reginaabreu.com/site/images/attachments/coletaneas/06-memoria-e-patrimonio_ensaios-contemporaneos.pdf> (2018-09-15).

Ortiz, R. (2006). A moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 2006.

Paiva, E. B. (2014). Conceituando fonte de informação indígena. // Inf. & Soc.:Est., 24:1 (jan./abr.) 61-70 . Disponível em: <http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/download/16472/10876> (2018-08-08).

Roca, A. (2015). Acerca dos processos de indigeniza-ção dos museus: uma análise comparativa. // Mana, 21:1 (abril) 123-156. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132015000100123&lng=en&nrm=iso> (2019-03-09).

SIASI/SESAI. (2014). Quadro geral dos povos. 2014. Disponível em: <https://pib.socioambiental.org/pt/Quadro_Geral_dos_Povos> (2018-10-15).

Publicado
2019-09-27
Como Citar
MAIMONE, G.; MATOS, A. CULTURAS INDÍGENAS SOB A PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Brazilian Journal of Information Science: research trends, v. 13, n. 3, p. 46-55, 27 set. 2019.
Seção
Artigos