ENFERMEIROS NO ATENDIMENTO DE CASOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA INFANTIL EM UNIDADES BÁSICAS DE SÁUDE

  • Emerson Piantino DIAS Revista LEVS
  • Maria Aparecida Tedeschi CANO
  • Glória Lúcia Alves FIGUEIREDO
  • Tatiana Carneiro de RESENDE

Resumo

Resumo: Este estudo objetivou conhecer experiências de enfermeiros em Unidades Básicas de Saúde – UBS - no município de Uberlândia, quanto aos seus modos de ver o atendimento às crianças vítimas de violência doméstica, através da pesquisa qualitativa. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com enfermeiros de nove UBS e analisadas através da técnica de Análise de Conteúdo, usando o recurso de Análise Temática. Nos resultados, verificamos que os enfermeiros apresentam uma visão tímida de atendimento de casos de violência doméstica infantil, seja por falta de preparo, seja pela dificuldade de reconhecer um caso, ou pela falta de um trabalho em equipe. Concluímos que a presença ou suspeita de violência nos casos atendidos e sua percepção, que oscila entre os aspectos visíveis e invisíveis da violência, o que acaba por originar dúvidas em sua identificação e atendimento, depende de uma melhor formação e do uso de melhores referências sobre o assunto no ambiente de trabalho.
Palavras – chave: Atenção Primária à Saúde; Enfermagem; Instituições de Saúde, Maus-tratos infantis; Violência Doméstica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Seção
Educação, Juventude e Prevenção