Apresentação

A Schème - Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas é uma revista acadêmica interdisciplinar que tem por missão publicar e divulgar pesquisas inéditas, teóricas ou experimentais, em Epistemologia e Psicologia Genéticas de Jean Piaget, nas áreas da Filosofia, Psicologia, Sociologia, Educação e Interdisciplinar. Sua periodicidade é semestral. A Schème tem apoio institucional da Universidade Estadual Paulista (Unesp), da Pró-Reitoria de Pesquisa, do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Psicologia da Educação da Unesp de Marília. Na última avaliação trienal da CAPES (Quadriênio 2013-2016), a Schème recebeu Qualis B3 nas áreas de Filosofia, Educação e Interdisciplinar, e Qualis B4 nas áreas de Ensino e Psicologia. 

Foco e Escopo

A Schème publica textos inéditos em Epistemologia Genética, Psicologia Genética e Sociologia Genética de Jean Piaget nas áreas da Filosofia, Psicologia, Sociologia, Educação e Interdisciplinar. Os textos podem ser apresentados na forma de artigos, traduções ou resenhas e serão avaliados por consultores ad hoc indicados pelos conselheiros da revista. A Revista aceita artigos em português, inglês, espanhol e francês. 

Sobre o nome da Revista

O termo francês "schème”, que intitula nossa revista, foi escolhido por expressar uma noção central das Epistemologia e Psicologia Genéticas, em especial, no que concerne aos schèmes d'action. O termo permeia toda a obra de Jean Piaget (a gênese dos schèmes d'action é detalhadamente estudada por Piaget em La naissance de l'intelligence chez l'enfant) e, em especial, é famosa a passagem do livro Biologie et connaissance (Paris: Gallimard, 1967, p.14-15) que diz que: “[…] todo conhecimento está ligado a uma ação e que conhecer um objeto ou acontecimento é os utilizar, assimilando-os aos esquemas de ação (schèmes d'action)”.

O termo “Schème” é traduzido, em geral, pelo termo português “esquema”. Entretanto, este não traduz toda a riqueza de sentido que aquele possui. Em especial, não traduz a distinção entre schème e schéma, tão cara a expressão rigorosa do pensamento de Piaget. Por exemplo, Piaget, em L'image mentale chez l'enfant (Paris: Presses Universitaires de France, 1966, p. 431) escreve: “Se chamarmos 'schème' a um instrumento de generalização que permite destacar os elementos comuns a condutas análogas sucessivas, então existem schèmes perceptivos tal como schèmes sensório-motores, schèmes operatórios, etc.; e existem também, nesse sentido, os schèmes imagéticos que permitem ao sujeito construir imagens análogas em situações comparáveis. Mas se chamarmos 'schéma' a um modelo simplificado destinado a facilitar a apresentação (como um esquema topográfico, etc.), então não existem schémas perceptivos, pois o schéma serve apenas à evocação e a figuração, enquanto a figuração imagética é esquematizada sobretudo no sentido do schéma, embora comportando a possibilidade de schèmes”.

Apesar das diferenças de acepções, o termo “esquema” já se consagrou na tradução de “schème”. E se escolhemos “schème” ao invés de “esquema” para intitular nossa revista, não foi para rivalizar com a escolha adotada, mas para remeter à necessidade de um estudo profundo dos temas tratados pela Epistemologia Genética e pela Psicologia Genética.

Indexações

A Schème está indexada nas seguintes bases de dados:

Portal de Periódicos CAPES

Sumários.org

Latindex

REDIB

Google Citações

Divulgação

Página no Facebook