RELAÇÕES ENTRE FUNÇÃO MOTORA, HABILIDADE MANUAL E FUNÇÃO COMUNICATIVA EM USUÁRIOS DE COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA

  • Aila Narene Dahwache Criado Rocha Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília
  • Munique Massaro Secretaria da Educação de Rio Claro
  • Débora Deliberato Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Resumo

O objetivo do estudo foi investigar relações entre a função motora grossa, a habilidade manual, a função comunicativa e o uso da comunicação suplementar e alternativa em crianças e jovens com paralisia cerebral. Participaram nove crianças e jovens com paralisia cerebral com idade entre 8 e 14 anos e dois fonoaudiólogos. Foram utilizados quatro instrumentos durante a coleta de dados: 1) Gross Motor Function Measure Classification System (GMFCS), 2) Manual Ability Classification System (MACS), 3) Communication Functioning Classification System (CFCS), e 4) Questionário sobre o uso da comunicação suplementar e alternativa (CSA). Foram realizadas análises qualitativas e quantitativas dos dados e análises estatísticas de correlação de Spearman Rho. O estudo permitiu a caracterização de um grupo de usuários de CSA e a relação do uso dos recursos de comunicação suplementar e alternativa com a classificação motora, habilidade manual e a função comunicativa.        

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aila Narene Dahwache Criado Rocha, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Professora Assistente Doutora do Curso de Terapia Ocupacional - Departamento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Munique Massaro, Secretaria da Educação de Rio Claro

Pedagoga e doutora em Educação pelo programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Débora Deliberato, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Professora Livre-docente do Departamento de Educação Especial e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – campus de Marília

Publicado
2017-11-13